Orações e gestos de solidariedade no mundo inteiro

O irmão Roger nasceu a 12 de Maio de 1915, em Provence, na Suíça. Em acção de graças pela sua vida de entrega a Cristo, a Comunidade de Taizé propôs aos que o desejaram viver um tempo de oração e um gesto de solidariedade em Maio. Pelo mundo inteiro, grupos que rezam regularmente com cânticos de Taizé, bem como outros, responderam a este convite:


Eis alguns ecos de diferentes orações e encontros por ocasião de 12 de Maio de 2015. Um outro artigo evoca a celebração deste aniversário em Taizé.


No Chade

Todos os anos, no Verão, jovens do Chade são enviados a Taizé. Foi-llhes proposto viver um «fim-de-semana como em Taizé», em N’Djaména. Marie-Françoise escreve:

«Este fim-de-semana veio recordar os dois meses que passei na colina em 2013, fez-me reviver a oração de Taizé, a simplicidade, o encontro com outros jovens de diferentes paróquias e diferentes confissões. O tema «Rumo a uma nova solidariedade» fez-me reflectir sobre as acções a praticar a fim de provocar ao meu redor o gosto de viver. As diferentes partilhas foram frutíferas e os cânticos de Taizé continuam a ressoar em mim. À semelhança da obra conduzida pelo irmão Roger, cada um de nós presente neste fim-de-semana foi convidado a comprometer-se, a criar, porque o irmão Roger legou-nos um dom e nada devemos temer, porque só Deus basta...»

JPEG - 27.6 kb

No Canadá

Da capelania da Universidade de Montreal chegou-nos esta mensagem:
«Uma palavra para manifestar a nossa comunhão nestes dias em que, um pouco por todo o mundo, assinalamos o centésimo aniversário do irmão Roger! No domingo passado, no Centro de Estudo Benoît Lacroix, assinalámos este aniversário e rezámos em comunhão convosco. Para a Eucaristia, escolhemos cânticos de Taizé e tínhamos perante nós o ícone de Jesus e o seu amigo.»


No Japão

«Após um curto momento de oração, assistimos a alguns excertos vídeo do irmão Roger. Depois, quatro pessoas de diferentes gerações falaram do papel que o irmão Roger teve nas suas vidas.

Novamente vimos o filme após algumas partilhas; de seguida, nos pequenos grupos, percebi que as mensagens falaram a muitos e de maneiras muito diferentes. Nos pequenos grupos da tarde, não contava ver tal partilha em profundidade. Muitos vieram pela primeira vez, não conhecia sequer metade das pessoas.» Kimiko


No Dubai

No dia 12 de Maio de 2015, 1200 paroquianos, alguns padres e religiosos encontraram-se para uma vigília de oração com cânticos de Taizé na igreja Sainte Marie no Dubai, preparada pela pastoral juvenil. Sheryl escreve:

«No dia 12 de Maio, para comemorar o centésimo aniversário do nascimento do irmão Roger, uma lanterna árabe mostrou-me o caminho até à sala principal da paróquia. Algumas velas, tecidos laranja, amarelos e vermelhos e outros elementos decoravam o altar. Participei no coro. As cadeiras eram insuficientes para as 1200 pessoas que procuravam um lugar. Alguns sentaram-se nos tapetes dispostos no chão, outros permaneceram em fé no fundo da igreja.

Os momentos de silêncio, que constatavam com o constante ruído ao nosso redor, tocaram o meu coração e deixaram que Deus me falasse verdadeiramente – simples, mas profundamente. Porque Deus me procura, e aguarda que pare e permaneça com ele.»

JPEG - 36.1 kb

Na Austrália

«Tivemos uma bela oração na catedral de Waitara. Foi um momento particular, com um generoso número de pessoas vindas de diversos locais, alguns pela primeira vez. Experimentámos a música, a reflexão, o silêncio, da oração à volta da cruz... para expressar o nosso profundo reconhecimento para com o irmão Roger e a Comunidade.» (Jenny)


Na Suíça

Além das dezenas de orações animadas no mês de Maio em toda a Suíça, um grupo ecuménico propôs uma peregrinação a pé para o dia 10 de Maio, com destino à aldeia-natal do irmão Roger, Provence:

«Encontrámo-nos para um belo culto matinal na igreja de Concise, na mesma paróquia que Provence. De seguida, dirigimo-nos até Vaumarcus, que este ano festeja igualmente o seu centenário.
Após uma pausa para um pique-nique, partimos para Provence. Pudemos visitar o jardim onde cresceu o irmão Roger, com uma magnífica vista sobre o lago de Neuchâtel. A caminhada foi ritmada por paragens em que partilhámos textos sobre a vida do irmão Roger. Seguidamente, vivemos um belo tempo de oração na igreja, que juntou mais de 150 pessoas de todas as idades.»
(Marc)

JPEG - 28.6 kb

Na Ucrânia

Marina participou na equipa de preparação de peregrinação a Kiev e Lviv, uma semana após a Páscoa ortodoxa. Algumas semanas mais tarde, uma oração teve lugar:

«Vivemos um momento de oração muito intenso e que me tocou muito. Uma oração de alegria, como a que sustentava o irmão Roger nas suas numerosas acções pelo bem. Tivemos a oportunidade de seguir o caminho que traçou, o de sermos co-criadores de alegria em comunhão com todos os cristãos.

Esta ideia de organizar momentos de oração pelo centenário do nascimento do irmão Roger foi como acender pequenas luzes no mapa-mundo, em todos os continentes. Todas as nações se reuniram em oração.

O irmão Roger foi testemunha da verdade, um artesão da paz e um exemplo de cristão autêntico. Abriu-se ao amor e à confiança em Deus, fonte de alegria, e na relação com os outros com simplicidade e humildade. Despertou em mim esse apelo, logo nas primeiras orações em Taizé. E todos os que se cruzaram com ele contam como também descobriram essa fonte graças a ele.»


Na Holanda

Cédric, um jovem francês que vive na Holanda, escreve:
«Em Stadskanaal, na Holanda, tivemos verdadeiramente uma bela oração nesta aldeia que viveu pela primeira vez uma oração com cânticos de Taizé. Mais do que isso, foi especialmente belo pois tratou-se da primeira vez que as comunidades católicas e protestantes organizaram juntos um evento assim! Ficámos felizes por participar.»


Em Portugal

«Por ocasião do Pentecostes, cerca de 200 pessoas da cidade de Santarém reuniram-se para um tempo de oração, na presença do bispo local, D. Manuel Pelino, que sublinhou como «é bom estarmos sentados juntos, para rezar ao Espírito e deixar que o Espírito reze em nós». Os jovens foram generosos, muitos trouxeram alimentos para dar à Cáritas local.» (Gustavo)


Na República Checa

Em resposta ao apelo de Taizé para preparar actos de solidariedade, os jovens de Praga organizaram um desafio a que deram o nome «Não escondeis o vosso talento».

«A ideia, muito simples, vem da parábola dos talentos (Mateus 25, 14-30). Todos os que aceitaram o desafio receberam 200 coras checas, cerca de 7 euros, que utilizaram com o objectivo de ganhar mais,como na parábola. No final, a totalidade do dinheiro destinou-se a um fim solidário. Todas as pessoas puderam decidir o projecto que desejaram apoiar.

Distribuímos 6 «talentos» a um grupo de jovens e a cinco pessoas individuais. No final, recolhemos a soma de 10,973 coroas checas, cerca de 400 euros, que será enviada a diferentes projectos, para apoiar as vítimas do recente sismo no Nepal, para os que ajudam os doentes nos hospitais, nem como à Operação Esperança.»

Sara, uma jovem que participou no desafio escreve
«Pouco depois de receber o meu «talento», foi-me proposto participar, com um amigo, na realização de um cartaz e ilustrações. Aproveite esta oportunidade para utilizar o meu «talento». Quando soube que deveria eu mesma escolher o projecto para receber o dinheiro que ganhara, imediatamente me lembrei do projecto «Os Palhaços da Esperança». Visitaram-me quando estive no hospital. Mesmo de já tivesse 17 anos, arrancaram-me várias gargalhadas após a minha cirurgia ao coração. Quero apoiar a sua actividade que ajuda as crianças impedidas de sair de sua cama.

Printed from: http://www.taize.fr/pt_article19242.html - 22 March 2019
Copyright © 2019 - Ateliers et Presses de Taizé, Taizé Community, 71250 France