Operação Esperança

Os irmãos da Comunidade de Taizé vivem exclusivamente do seu próprio trabalho. Não aceitam doações. Também não aceitam para si próprios as suas heranças familiares, que a Comunidade encaminha para projectos de solidariedade com os mais pobres.

A Comunidade ajuda pessoas carenciadas nos diferentes continentes, crianças desprotegidas ou doentes, entre outras.

Entre outros projectos, a Comunidade ajuda alguns jovens a vir a Taizé e aos encontros europeus, latinoamericanos, africanos ou asiáticos: há muitos jovens que não podem contribuir nos custos da sua estada em Taizé ou pagar a viagem, por vezes por virem de países muito distantes.

Através da Operação Esperança, todos aqueles que o desejam podem participar nesta entreajuda e contribuir para estes projectos.

Para enviar um donativo à Operação Esperança,
clicar aqui.


Ajuda ao Médio-Oriente

A Operação Esperança apoiou recentemente várias iniciativas nesta região:

No norte do Líbano, a ONG Relief and Reconciliation for Syria [http://www.reliefandreconciliation.org/].
é inspirada na obra do Padre Paolo Dall’Oglio que trabalhou na Síria para o conhecimento e apreciação do Islamismo e fundou a comunidade monástica de Mar Musa. Esta pequena ONG combina a ajuda humanitária aos refugiados sírios em Akkar, no norte do Líbano, com um trabalho de educação para a paz junto das crianças e jovens de várias comunidades presentes nesta região. Foi através da Relief and Reconciliation que a família síria muçulmana actualmente acolhida em Taizé pôde chegar a França.

Na Síria, em Aleppo, a comunidade franciscana [https://www.proterrasancta.org/it/lappello-del-custode-di-terra-santa-emergenza-siria] distribui para as pessoas deslocadas pacotes de comida e bens de primeira necessidade, trabalhando também no desenvolvimento de sistemas de água potável e na distribuição de combustível para geradores e aquecimento. Esta comunidade também auxilia as pessoas nos seus percursos de cuidados médicos, ao assumir parte dos custos. Finalmente, os irmãos garantem a educação das crianças e jovens, tentando proporcionar espaços para as atividades e estudos.

- No Iraque, em Erbil, uma assistência é dada à comunidade síria ortodoxa jacobita, de onde veio uma das famílias iraquianas que vivem em Taizé. Nas aldeias cristãs da planície de Nínive que foram libertadas pelo exército iraquiano, os cristãos encontram as suas igrejas devastadas pelo Daech. O dinheiro recolhido serve para o apoio de pessoas deslocadas em Erbil que não podem voltar para as aldeias destruídas e para a limpeza e reconstrução de locais de culto.

Férias para crianças ucranianas

Com a Operação Esperança, durante os Verões de 2015 e 2016 um grupo de crianças do leste da Ucrânia foi acolhida em Taizé durante várias semanas. As suas famílias fugiram da guerra em Donbass e desde então vivem em Kiev. Para estas crianças de 7 a 14 anos, o tempo passado em Taizé foi um momento de alegria e paz após os meses difíceis da guerra. A sua presença alegre na colina também ajudou a expressar solidariedade com aqueles que sofrem com a guerra às portas da Europa.

Apoio a crianças desfavorecidas no Haiti

Em Outubro de 2014, o irmão Alois e outros irmãos animaram uma etapa da peregrinação de confiança em quatro países das Caraíbas na América Central animado. No Haiti, eles visitaram uma comunidade de irmãs de Cité Soleil, em Port-au-Prince e, desde então, a Operação Esperança envia regularmente ajuda financeira para apoiar o seu trabalho com crianças desfavorecidas.

Assistência aos refugiados na Europa

Desde a sua criação, a comunidade de Taizé tem sido sempre atenta aos refugiados. Durante a Segunda Guerra Mundial, o irmão Roger acolheu discretamente pessoas em Taizé. Posteriormente foram acolhidas famílias, nomeadamente do Vietname, Laos, Bósnia e Ruanda. Nos últimos anos, a comunidade acolheu famílias do Iraque e da Síria, bem como grupos de jovens migrantes vindos de Calais.
Em 2016 permaneceram em Taizé jovens requerentes de asilo provenientes do Sudão, Sudão do Sul, Eritreia, Síria e Afeganistão. Este acolhimento tem sido possível graças à colaboração de muitos voluntários da região e de um apoio financeiro da Operação Esperança. A comunidade procura ajudar estes jovens a tornarem-se independentes depois de lhes ter sido concedido o estatuto de refugiado.

A Operação Esperança também apoia iniciativas de ajuda aos refugiados realizadas por associações que trabalham na região em torno de Taizé.

Em 2015, depois de terem sido publicadas as notícias enviadas pelo Ferenc e pelos jovens voluntários que foram à Hungria para estar com os refugiados, a Operação Esperança recebeu muitos donativos para apoiar este trabalho. Os donativos ajudaram a cuidar de crianças e de jovens no cento de acolhimento Fót [http://www.taize.fr/pt_article16947.html#budapest]. Esses donativos ajudaram também a assistir refugiados que cruzam as fronteiras.


2017: Apoio a uma clínica oftalmológica no Congo

Há cerca de 20 anos que o Dr. Richard Hardi vive e trabalha na República Democrática do Congo como oftalmologista. É membro ativo da Comunidade das Bem-Aventuranças. Trabalha em Mbuji Mayi, a capital da província de Kasai Este, mas faz regularmente missões médicas em áreas remotas.

Numa grande parte do país, ele é praticamente o único oftalmologista que opera crianças e casos mais complicados. Faz mais de 2500 operações por ano.

Desde 2015, a Operação Esperança enviou apoio financeiro para o Dr. Hardi implementar uma clínica oftalmológica, uma vez que a região tem essa grande necessidade.


Alguns exemplos de outros projectos apoiados pela Operação Esperança

Escolas no Bangladesh

A Operação Esperança apoia há vários anos algumas escolas em Mymensingh, no Bangladesh. Ao todo, há mais de 1500 crianças a estudar nestas escolas. Nelas, os jovens professores muçulmanos, hindus e cristãos, aprendem a trabalhar em conjunto. Todos eles são estudantes que precisam de dinheiro para pagar a faculdade. Estes estudantes compreendem que, se querem receber ajuda, é importante contribuírem com algo. Abdicam do seu tempo livre para ajudarem a que estas escolas para as crianças carenciadas possam continuar. Servir juntos os mais pobres alimenta o sentimento de pertencermos a uma só família humana.

Ver:
Pequenas escolas à volta de Mymensingh

Um centro de acolhimento para doentes no Camboja

Desde 2008, a Operação Esperança envia regularmente ajuda para apoiar um centro de acolhimento para doentes, criado pela paróquia do Menino Jesus em Boeng Tumpun, no Camboja. Procurando responder às necessidades dos pobres vindos das aldeias de diferentes províncias do país, a paróquia lançou este projecto que promove a dignidade das pessoas doentes e lhes faculta os tratamentos de que necessitam. Por ser perto da capital, Phnom Penh, este centro pode facilitar o acesso a hospitais, em caso de necessidade. Os dons permitem participar nos custos de hospitalização, mas também financiar o próprio centro, tanto para a remuneração do pessoal como para manter os locais, cobrir despesas de acolhimento e de medicamentos, etc.

Ver:
Visitas em Abril de 2013

2015: Apoio após os terramotos no Nepal

Após os sucessivos terramotos no Nepal em Abril e Maio d e2015, a Operação Esperança apoiou o trabalho de uma ONG alemã Freundeskreis Nepalhilfe e.V. (FNH). Todo o dinheiro enviado foi usado para comprar telhados de zinco ondulados para serem usados na construção de habitações temporárias. Era muito urgente, uma vez que as «monsun» eram esperadas rapidamente após os tremores de terra. Estes telhados, no futuro, podem ser integrados na construção de habitações mais duradouras. A Operação Esperança ajudou 200 famílias a serem realojadas.

Uma amiga da comunidade regressou recentemente de uma visita a este país. Ela escreve: «Ainda existem bastantes montanhas de escombros e vemos muitas vezes pessoas sentadas nos escombros. Frequentemente, os tremores de terra afetam maioritariamente os pobres, que vivem em simples barracas. Atualmente, alguns conseguiram encontrar um sítio para ficar em habitações de emergência, que às vezes são melhores que as suas antigas casas e podem tornar-se uma solução a longo prazo.»

2015: Recolha de Medicamentos para Cuba

Em Outubro de 2014, o irmão Alois foi a Cuba, com alguns irmãos, durante uma etapa da «Peregrinação de Confiança», nas Caraíbas. Realizaram-se orações em Havana e Matanzas. No regresso, o irmão Alois disse aos jovens reunidos em Taizé: «os Cubanos, principalmente os jovens, estão ansiosos para deixar o seu isolamento, eles precisam de se sentir próximos dos outros jovens nos outros países, e eles pediram-nos que vos cumprimentasse a todos em nome deles. Para eles, tornar-se sal da terra significa escolher a esperança.» Em Março deste ano, um irmão voltou a este país para estreitar laços. Ele viu que há uma deficiência de muitos bens, nomeadamente de medicamentos. Um grupo de Cristãos dirige uma rede de apoio médico para populações desfavorecidas, com pequenos centros de saúde em diferentes partes do país. Através da Operação Esperança, a Comunidade decidiu organizar uma recolha de medicamentos que foi entregue a este grupo em Cuba: Diclofenac (anti inflamatório), doxiciclina (antibiótico), aspirinas, vitaminas, glucosamina, amoxicilina, furosemida, cefalexina, dexclorofeniramina (anti estamínico), ibuprofeno.

Ajuda Humanitária à Coreia do Norte

Em 2016, a Comunidade convidou dois médicos do Hospital da Cruz Vermelha da Coreia do Norte a fazer um curso de reciclagem em França. Estes dois médicos estiveram três meses em Paris e os custos da sua estada foram inteiramente suportados pela Operação Esperança. Entre 2007 e 2011, seis outros médicos fizeram um ano de estágio em França.

Os primeiros envios humanitários que a Comunidade fez à Coreia do Norte foram em 1998 e 1999: mais de mil toneladas de milho foram enviados para a população que sofria há vários anos de secas e inundações.

Desde então, todos os anos foi possível fazer um pequeno sinal de solidariedade, enviando ajuda humanitária: leite e biberões para bebés, material médico e medicamentos básicos, nomeadamente os que foram reunidos durante o Encontro Europeu de Berlim no final de 2011: conseguimos juntar dezenas de caixas de medicamentos e algumas centenas de estetoscópios, termómetros, caixas de ligaduras, gaze desinfectada, seringas e outros tipos de material médico, assim como várias caixas de aparelhos cirúrgicos e dois esterilizadores. A Operação Esperança acrescentou dois aparelhos concentradores de oxigénio novos. Este apoio continuou em 2012 e 2013, com o envio de mais aparelhos médicos e medicamentos. A Cruz Vermelha da Coreia do Norte encarregou-se da distribuição dos medicamentos e deste material junto de hospitais e centros de saúde rurais.

Um dos irmãos da Comunidade, de origem sul-coreana, esteve várias vezes na Coreia do Norte e acompanhou por vezes a distribuição da ajuda alimentar.

No Sudão do Sul

Numa aldeia 25 km a sul de Rumbek vivem cerca de cinquenta famílias de leprosos, vindos de toda a região dos Grandes Lagos. Embora o tratamento médico possa curar a doença e remover todo o perigo de contágio, a perda de membros pode gerar grandes deficiências. O estigma social continua a afetá-los imenso. Os leprosos não podem ficar nas suas terras. Os seus filhos, mesmo que não sejam afectados pela doença, não são acolhidos nas escolas. A coragem e a esperança destas famílias que começam uma vida nova a partir do zero, em grande isolamento e precariedade, são notáveis. A Operação Esperança vai ajudar a construir um local para as classes da escola primária, de modo a que as crianças possam continuar a estudar, mesmo durante a estação chuvosa.

A guerra civil, os custos elevados e a falta de escolas impediram muitos jovens de continuar os seus estudos: ajudá-los agora a desenvolver todo o seu potencial é uma prioridade. A abertura de um Centro de Oportunidades para a Juventude quer dar um sinal forte em favor desse compromisso. Num terreno que durante a guerra civil era ocupado por armazéns de uma ONG, a Igreja quer abrir um local de acolhimento, de animação e de formação aberto a jovens de todas as origens. A Operação Esperança vai contribuir para a construção de uma sala polivalente, para substituir a actual tenda que está em muito mau estado.

Ver também:
Visita de um irmão ao Sudão do Sul

Em 2009, Taizé imprimiu um milhão de Bíblias na China

Durante o Encontro Europeu que reuniu 40.000 jovens em Bruxelas no final de 2008, o irmão Alois anunciou que, para responder a necessidades dos cristãos da China, a Comunidade de Taizé ia fazer imprimir na China um milhão de Bíblias: 200.000 Bíblias completas e 800.000 Novos Testamentos com os Salmos. A impressão foi feita em Nanjing e, desta cidade, os livros foram distribuídos em diferentes etapas, ao longo do ano de 2009.

Em 2009, 2010 e 2011 a Comunidade de Taizé apoiou também o trabalho bíblico da Igreja Protestante na China.

No Burkina-Faso

Neste país do Sahel, onde a estação seca dura nove meses seguidos, a população utiliza poços que secam frequentemente, obrigando as mulheres a procurar água insalubre recolhida em tanques artificiais durante a época chuvosa. Por vezes têm que percorrer dez quilómetros para encontrar água e os raros poços que existem tornam-se motivos de conflito, por causa das longas esperas e da raridade da água. A Operação Esperança apoia a abertura de furos de captação de água e a instalação de sistemas de bombagem de água. Estes furos são indispensáveis para a alimentação humana e para a prevenção de doenças.

En 2010, a Operação Esperança voltou a apoiar o projecto de fornecimento de leite para crianças do hospital de Nanoro, no Burkina-Faso.

Printed from: http://www.taize.fr/pt_article602.html - 11 December 2019
Copyright © 2019 - Ateliers et Presses de Taizé, Taizé Community, 71250 France