Oração de um judeu pelas crianças de Gaza

Nestes meses de conflito, a oração pelos povos do Médio Oriente, por todos aqueles que procuram uma paz justa e durável nesta região, tornou-se mais intensa em Taizé. E cada vez mais, à medida que mais palestinianos vão participando nos encontros na colina, especialmente três crianças que estiveram recentemente em Taizé, cujos avós vivem em Gaza.

Publicamos novamente uma oração para a qual um amigo da Comunidade, o Rabi Levi Weiman-Kelman, de Kol Ha Neshama, em Jerusalém, chamou a nossa atenção, publicada em 2009 nas páginas do jornal Haaretz.


Irmão Alois com uma família franco-palestiniana, 15 de Agosto de 2014


JPEG - 29.9 kb

Se há um tempo para rezar, é agora.

Se há um local abandonado, é Gaza.

Senhor, criador de todas as crianças, escuta a nossa oração neste dia maldito. Deus a que chamamos Bendito, dirige o teu rosto na direção delas, as crianças de Gaza, para que possam conhecer as tuas bênçãos e o teu abrigo, para que possam conhecer a luz e o calor onde agora há trevas e fumo e um frio que aperta e corta a pele.

Todo-Poderoso, tu que realizas excepções a que chamamos milagres, faz uma excepção para as crianças de Gaza. Protege as nossas e as dos outros. Poupa-as. Cura-as. Deixa-as viver com toda a segurança. Liberta-as da fome e do horror, da ira e da dor. Liberta as nossas e as dos outros.

Permite que reencontrem a sua infância roubada e os seus direito de nascença, vislumbres do paraíso.

Recorda-nos, Senhor, o menino Ismael, pai de todas as crianças de Gaza. Como Ismael permaneceu sem água e foi abandonado à morte no deserto de Beer-Sheba, de tal forma despojado de toda a esperança que a sua mãe não podia suportar ver a sua vida derramar-se na areia.

És o Senhor, o Deus do nosso Pai Ismael, que escutou o seu grito e enviou o seu anjo para confortar a sua mãe, Hagar.

És o Senhor, tu que estiveste com Ismael nesse dia e todos os dias que se seguiram. És o Senhor, o Todo-Misericordioso, que abriu os olhos de Hagar e lhe mostrou os poços, a fim de que ela pudesse dar de beber ao menino Ismael e salvar-lhe a vida.

Allah, a que chamamos Élohim, tu que dás a vida, que sabes o valor e a fragilidade de toda a vida, envia os teus anjos a estas crianças. Salva-as, as crianças deste lugar, Gaza, a mais bela, Gaza, a condenada.

Neste dia em que a ansiedade, a cólera e o luto a que chamamos guerra conquistam os nossos corações e os cobrem de cicatrizes, apelamos a ti, Senhor, cujo nome é paz:

Abençoa estas crianças e protege-as do mal.

Vira o teu rosto para eles, Senhor. Mostra-lhes, como se fosse a primeira vez, a luz e a bondade, a tua imensa benevolência.

Olha-os, Senhor. Permite que vejam o teu rosto.

E, como se fosse a primeira vez, concede-lhes a paz.

Bradley Burston, do jornal Haaretz

Printed from: http://www.taize.fr/pt_article17101.html - 11 August 2020
Copyright © 2020 - Ateliers et Presses de Taizé, Taizé Community, 71250 France