Textos bíblicos com comentário

Estas meditações bíblicas são sugeridas como meio de procura de Deus no silêncio e na oração, mesmo no dia-a-dia. Consiste em reservar uma hora durante o dia para ler em silêncio o texto bíblico sugerido, acompanhado de um breve comentário e de algumas perguntas. Em seguida constituem-se pequenos grupos de 3 a 10 pessoas, para uma breve partilha do que cada um descobriu, integrando eventualmente um tempo de oração.
2021

Dezembro

2 Samuel 7, 1-8, 16: Um Deus Peregrino
Quando o rei se instalou em sua casa, e o Senhor lhe deu paz, livrando-o dos seus inimigos, disse David ao profeta Natan: «Não vês que eu moro num palácio de cedro, enquanto a Arca de Deus está abrigada numa tenda?» Natan respondeu-lhe: «Pois bem, faz o que te dita o coração, porque o Senhor está contigo!» Mas, naquela mesma noite, o Senhor falou a Natan, dizendo-lhe: «Vai dizer ao meu servo David: Diz o Senhor: «És tu que me vais construir uma casa para Eu habitar? Desde que tirei da terra do Egipto os filhos de Israel até ao dia de hoje, não habitei em casa alguma; mas peregrinava alojado numa tenda que me servia de morada. E, durante todo o tempo em que andei no meio dos israelitas, disse, porventura, a algum dos chefes de Israel que encarreguei de apascentar o meu povo: ’Porque não me edificais uma casa de cedro?’ Dirás, pois, agora, ao meu servo David: Diz o Senhor do universo: Eu tirei-te das pastagens onde apascentavas as tuas ovelhas, para fazer de ti o chefe de Israel, meu povo. [...] A tua casa e o teu reino permanecerão para sempre diante de mim, e o teu trono estará firme para sempre» (2 Samuel 7,1-8,16)

O grandioso rei David desempenhou bem o seu papel durante o primeiro período do seu reino ao expulsar os inimigos de Israel, criando assim um espaço vital onde as pessoas podiam sentir-se à vontade. Assim se deu início a um tempo de «descanso», não no sentido da passividade e letargia mas uma era de shalom, de paz activa e de realização.

Durante este tempo de paz, o rei procurou formas de agradecer a Deus pelas bênçãos divinas que oferecia à nação e para assegurar à nação as bênçãos divinas. Decidiu assim construir uma casa para o Senhor, mais exactamente para a arca da aliança, a arca que tinha acompanhado o povo durante toda a sua caminhada. A princípio, o profeta Natan concordou com o plano do rei mas, falando num sonho, o Senhor disse ao homem de Deus que tal empreendimento, mesmo com a melhor das intenções, seria uma contradição à identidade de Deus, que é diferente de tudo.

Ao contrário das divindades das civilizações vizinhas, o Deus de Israel não se encontra confinado a um local em particular, a um santuário onde as pessoas precisem de ir para O encontrar. Este Deus é um Deus peregrino, sempre em movimento para liderar os seus seguidores em direcção a uma vida maior. Tentar construir-lhe uma morada seria uma forma de o prender a um local determinado, de eliminar a Sua liberdade para indicar a estrada que deve ser percorrida.

Não é fácil para nós deixar que Deus mantenha a Sua liberdade. Preferimos claramente um deus que esteja sob o nosso controlo, um deus que não nos perturbe demasiado por não percebemos como age. Mas um deus que seja demasiado «compreensível» arrisca-se a tornar-se um ídolo, uma simples confirmação das nossas ideias pré-concebidas. O Deus da Bíblia, por outro lado, mantém-se imprevisível, elusivo, pedindo a nossa confiança mesmo na escuridão.

Se resistirmos a construir uma morada para Deus, receberemos através da fé a certeza de que Deus nos construirá uma morada «para sempre». Descobriremos que Deus se mantém fiel e que nos continuará a guiar, levando-nos por caminhos que apenas Ele conhece, em direcção a uma terra prometida muito melhor do que qualquer coisa que possamos imaginar ou esperar.

- O que me impede de experimentar o «descanso»? Onde posso encontrar um «descanso» que não seja sonolência, mas antes alegria e criatividade?

- De que formas tentamos reduzir Deus às nossas dimensões? O que nos ajuda a lembrar que os caminhos de Deus estão sempre para lá do que compreendemos?

- Já alguma vez tive a experiência de que Deus me levava por um caminho que eu nunca descobriria por mim próprio? Quando? Como?



Outras meditações bíblicas:

Printed from: https://www.taize.fr/pt_article175.html - 2 December 2021
Copyright © 2021 - Ateliers et Presses de Taizé, Taizé Community, 71250 France