Sudão do Sul | Depois da guerra civil

Numa aldeia 25 km a sul de Rumbek vivem cerca de cinquenta famílias de leprosos, vindos de toda a região dos Grandes Lagos. Embora o tratamento médico possa curar a doença e remover todo o perigo de contágio, a perda de membros pode gerar grandes deficiências. O estigma social continua a afetá-los imenso. Os leprosos não podem ficar nas suas terras. Os seus filhos, mesmo que não sejam afectados pela doença, não são acolhidos nas escolas. A coragem e a esperança destas famílias que começam uma vida nova a partir do zero, em grande isolamento e precariedade, são notáveis. A Operação Esperança vai ajudar a construir um local para as classes da escola primária, de modo a que as crianças possam continuar a estudar, mesmo durante a estação chuvosa.

A guerra civil, os custos elevados e a falta de escolas impediram muitos jovens de continuar os seus estudos: ajudá-los agora a desenvolver todo o seu potencial é uma prioridade. A abertura de um Centro de Oportunidades para a Juventude quer dar um sinal forte em favor desse compromisso. Num terreno que durante a guerra civil era ocupado por armazéns de uma ONG, a Igreja quer abrir um local de acolhimento, de animação e de formação aberto a jovens de todas as origens. A Operação Esperança vai contribuir para a construção de uma sala polivalente, para substituir a actual tenda que está em muito mau estado.

Ver também:
Visita de um irmão ao Sudão do Sul

Printed from: https://www.taize.fr/pt_article30053.html - 25 June 2022
Copyright © 2022 - Ateliers et Presses de Taizé, Taizé Community, 71250 France