Verão de 2021

Visitas e orações na Casamansa

Entre os cristãos de Grand Yoff, bairro onde se encontra a fraternidade de Taizé em Dakar, grande parte provém de Casamansa, esta maravilhosa região muito verde e fértil do sul do Senegal.

Acompanhados por jovens do bairro, dois irmãos puderam em Julho e Agosto realizar visitas a três aldeias da Casamansa, Mlomp, Oukout e Cagnout, no departamento de Oussouye. O acolhimento foi muito caloroso e amigável, permitindo às visitas não só saborear pratos tradicionais preparados com produtos locais, mas também participar na vida social e familiar das aldeias e da rica natureza envolvente - florestas, campos e rios.

Por iniciativa de jovens destas aldeias que conheceram a fraternidade de Dakar, realizaram-se lá pela primeira vez orações com cânticos de Taizé. Infelizmente, quando chegou o dia, a tão esperada chuva chegou ao mesmo tempo e alguns jovens tiveram que substituir os nossos cânticos e a oração por canções diolà cantadas nos arrozais. (Talvez possam depois cantar os cânticos de Taizé com a colheita…!)

Apesar de quase ninguém conhecer Taizé, as orações foram intensas e comoventes: a par dos cantos locais cantados no início e no final, a cultura predominantemente oral permitia que as pessoas entrassem nos cânticos de Taizé depois de duas ou três repetições, mesmo. sem partitura ou texto impresso.

Em Mlomp e Cagnout, as orações tiveram lugar nas igrejas da aldeia. Em Oukout, um pequeno ícone de amizade e uma vela colocada à entrada duma casa criaram um ambiente muito bonito, que foi completado com uma «decoração viva itinerante» - galinhas, pintos e cachorros que se juntaram à oração por mais ou menos tempo.

O ícone da amizade, muito querido em Taizé, foi muito apreciado pelas pessoas presentes; ficou lá como um humilde presente e assim poderá reunir cristãos ao seu redor noutras ocasiões.

Os irmãos também puderam aproveitar a viagem para visitar «Kalambenor» («entreajuda» em língua diolá), um novo projeto que viu a luz em 2019 por iniciativa de Youssouf e Jean-Marie, dois jovens agricultores de Oukout e de Cagnout, em colaboração com "Ak Benn". Youssouf e Jean-Marie descrevem o projeto da seguinte forma:


Movidos pelo desejo de ficar na Casamansa onde nascemos, de cultivar as nossas terras, de preservar e regenerar a floresta cujas árvores, plantas, estradas e caminhos conhecemos, de partilhar o nosso profundo conhecimento da vida rural e da natureza e de oferecer uma abordagem familiar para a vida das pessoas e da floresta, lançámos este projeto com entusiasmo.

Os nossos principais objetivos são:
1. Desenvolver o conhecimento e o amor pela natureza entre crianças e jovens do país e de todo o mundo.
2. Transmitir conhecimentos artesanais.
3. Criar postos de trabalho.
4. Capacitar adolescentes e jovens.
5. Lutar contra a destruição da floresta e a pilhagem da natureza.

Neste contexto, existem três pequenas cabanas em cada uma das duas aldeias do projecto: duas para acolher convidados e uma polivalente para exposições e reuniões. Elas permitirão que famílias ou grupos escolares venham descobrir a beleza da nossa vida em Casamansa e a natureza e a proteção do meio ambiente. Ofereceremos atividades locais, bem como passeios mais distantes, por exemplo, um roteiro botânico. Um viveiro, iniciado como uma experiência em permacultura (vegetais, árvores frutíferas, bambus, etc.), será uma de nossas contribuições locais. E principalmente a reconstrução da floresta onde esta foi destruída.

Printed from: https://www.taize.fr/pt_article32632.html - 24 June 2024
Copyright © 2024 - Ateliers et Presses de Taizé, Taizé Community, 71250 France